Natursutten: chupetas de borracha natural pura, ecológica e sustentável

Borracha natural

A marca Natursutten fabrica chupetas feitas de borracha natural pura, ecológica e sustentável da árvore Hevea brasiliensis.

Todas as chupetas natursutten são certificadas segundo as diretrizes de segurança, saúde e ambiente dadas pela União Europeia.Desenvolver borracha natural requer atravessar muitos passos e numerosos estudos científicos para gerar em conjunto um plano de actuação coeso.

Plantação – As sementes são plantadas e crescem durante cerca de 12 a 18 meses antes de estarem prontas para o enxerto, depois do qual são removidas de um ambiente de viveiro e plantadas numa plantação. O broto cresce rapidamente mas a árvore deve amadurecer entre 6 a 7 anos. Recolha – Ceifa-se um pouco da casca e depois encaixa-se numa linha na zona exposta pela retirada da casca numa profundidade de 1/3”. O liquido cremoso branco, latex, escorre pelos ramos até às zonas sem casca de onde é colhido através de uma incisão criada na árvore. Este processo de recolha continua alternadamente durante os dias, com as novas manchas a aparecer da retirada da casca até a árvore estar descascada até cerca de um passo da base do chão. Após um dos lados da árvore estar pronto e despido, repete-se o processo no lado oposto da mesma árvore.As plantações de borracha na Malásia são todas geridas e posse do governo e controladas por uma instituição denominada The Malaysian Rubber Board.

Na Natursutten/EcoBaby preocupam-se com a sustentabilidade e com o comércio justo. Através da Malaysian Rubber Board, pagam uma percentagem do dinheiro que gastam na seiva de borracha natural de volta à instituição para apoiar e incitar uma indústria sustentável. O dinheiro que pagam de volta é utilizado para replantar árvores de borracha e investir no desenvolvimento e pesquisa que asseguram o futuro das plantações de borracha na Malásia.EcoBaby ApS assegura que o lixo e reciclagem:

O lixo, incluindo o reciclável, é separado de acordo com as normas das autoridades ambientais Dinamarquesas para posteriormente ser recolhido e distribuido para as instalações de tratamento especializadas.
O lixo perigoso é rotulado, guardado e disposto, como instruido pelas autoridades, em instalações próprias aprovadas ambientalmente.
EcoBaby ApS está consciente e respeita os requisitos para a separação, reciclagem e disposição do lixo, como expresso na Lei de Protecção Ambiental Dinamarquesa, Lei No. 753 de 25 de Agosto de 2001.
A legislação dinamarquesa está de acordo com a diretiva da União Europeia75/442/EEC de 15 de Julho de 1975 sobre o lixo, diretiva UE 91/689/EEC de 12 de Dezembro de 1991sobre lixos perigosos, regulamentação da UE 259/93/EEC de 1 de Fevereiro de 1993 sobre a supervisão e controlo de carregamentos de lixo dentro e fora da Comunidade Europeia assim como da Convenção Basileia do transporte de lixo entre fronteiras.

EcoBaby ApS assegura a minimização nas embalagens:

Têm reduzido o uso de embalagens o quanto possível. EcoBaby ApS está ciente e tem presente os requerimentos ambientais Dinamarqueses para embalamentos na empresa. A lei dinamarquesa está de acordo com as normas da UE 94/62/EC sobre embalamento e desperdícios/resíduos que advêm do mesmo. A agência Ambiental Dinamarquesa supervision garante que as embalagens vendidas na dinamarca fazem juzo aos requerimentos ambientais dinamarqueses.O Forest Stewardship Council A.C. (FSC) promove a gestão ambiental apropriada, os benefícios sociais e a viabilidade económica das florestas mundiais. A gestão ambiental e manutenção apropriadas das florestas assegura que a colheita das madeiras e os produtos não provenientes das mesmas não afetem a biodiversidade nas florestas nem os processos de produtividade e ecologia.

A manutenção de uma floresta beneficiada socialmente ajuda tanto as pessoas locais como a sociedade em geral a usufruirem de beneficios a longo prazo e proporciona também incentivos para as pessoas locais preservarem os recursos florestais e aderirem a futuros planos de gestão a longo prazo.

A gestão de uma floresta economicamente viável significa que as intervenções são estruturadas e geridas de forma a serem auto-suficientes lucrativamente, sem gerar lucro financeiro a custo dos recursos florestais , do eco-sistema ou das comunidades afetadas.