O Impacto da Ansiedade Materna no Bebé

Sabes o quão importante é cuidares de ti, da tua saúde mental, emocional, física energética e espiritual, principalmente agora que estás grávida? Neste artigo falamos do impacto que a ansiedade materna tem em ti, mas também, e sobretudo, no bebé.A forma como vives a tua gravidez vai refletir-se no desenvolvimento do teu bebé e no desfecho da gravidez. A ciência mostrou recentemente que grávidas ansiosas transmitem geneticamente esse padrão de comportamento ao bebé, o que pode gerar futuros adultos igualmente ansiosos.

Para além disso a ansiedade é um dos fatores de risco para parto prematuro, baixo peso ao nascer, valores inferiores de Apgar, deficit no desenvolvimento neurológico e psicológico do bebé, complicações obstétricas como sangramento vaginal e risco de aborto, sendo um dos principais fatores de risco para a depressão pós-parto.É por isso de grande importância que cuides da tua saúde psicológica e emocional 
enquanto geras o teu bebé. 
É no ventre que começa a educação para o amor, compaixão, tolerância e bem-estar.Ensinas tanto ao teu filho sobre a importância que cada um de nós tem no mundo quando cuidas de ti. Quando te propões a olhar para dentro e a sanar as feridas do passado que subtilmente conduzem a tua vida e tomam conta de ti.

Tudo na tua vida melhora quando te cuidas, quando entras no silêncio para ouvires o que a tua alma tem para dizer. Encontras mais paz e serenidade. Então há maior clareza no pensamento e portas se abrem, tudo flui com maior leveza e equilíbrio, e isso também se repercute no físico, com uma imunidade melhorada e saúde fortalecida.Cada pensamento produz uma emoção e cada emoção produz uma química específica no teu corpo.

Sob stress e ansiedade produzes adrenalina, noradrenalina e cortisol.

Estas têm efeitos sobre o teu sistema nervoso, endócrino e imunitário.

Ou seja a nossa saúde física e mental está intimamente ligada a elas.

Estando grávida o teu bebé vai receber estas hormonas, que vão agir sobre os seus próprios sistemas.

Assim por exemplo, há maior risco de parto prematuro.Pára um pouco para reflitir como te sentes? O que tens estado a transmitir ao bebé sobre a tua forma de estar na vida? Os teus pensamentos são acelerados e confusos? Positivos ou negativos? Estás sempre com a mente no Futuro ou no passado? Que hormonas tens produzido e que lhe envias ao útero? Hormonas do amor ou hormonas de stress?

É importante que aprendas a resolver rapidamente situações de ansiedade na tua vida e a entrar num estado de pacificação, para que o impacto no bebé seja minimizado.O que podes fazer para melhorares a forma como te sentes no dia a dia e perante acontecimentos perturbadores:

1. Aprender a observar os teus pensamentos, o teu diálogo interno, as coisas que dizes a ti própria e aos outros. E transformar todo este diálogo em frases positivas, mais gentis e que denotem uma maior compreensão, tolerância e compaixão por ti e pelos outros.

2. Aprender a meditar e a respirar de forma consciente, para aumentar a tua concentração e foco no que é importante para ti, e a libertar de tudo o que te é prejudicial e não contribui para o vosso bem-estar.

3. É fundamental conversares com o bebé que carregas no ventre, como quem tranquiliza a pessoa que mais quer bem no mundo. Explicando-lhe como te sentes, que esse é um sentimento teu e não dele, e o que é que estás a fazer em relação àquilo que sentes para se restaurar o equilíbrio no teu interior e na tua vida.

Enfermeira Cátia Vieira, especialista em Saúde Materna e Obstétrica. Terapeuta Holística.
Página Facebook